Inundações

 

Ao longo dos anos, a bacia do rio Paraíba do Sul sofreu inúmeras intervenções, capazes de produzir expressivas modificações no desempenho dos corpos hídricos em situações normais e de extremos. Ações antrópicas na bacia, tais como o desmatamento, o manejo inadequado da terra, a ocupação desordenada do solo e das encostas, os despejos in natura de efluentes domésticos e industriais e as extrações descontroladas de areia em cavas e diretamente nas calhas, contribuíram para elevar a produção de sedimentos e acelerar o assoreamento dos cursos de água afluentes e do próprio rio Paraíba.

Verifica-se que na porção paulista da bacia, região do alto Paraíba do Sul, as inundações com prejuízos às áreas urbanas são provocadas na maioria das vezes por cursos de água afluentes ao Paraíba do Sul, já que os reservatórios de Paraibuna/Paraitinga e Jaguari produzem na maioria das vezes, um controle satisfatório das enchentes de caráter regional. Como exemplo, podem citar os municípios de Jacareí e Cachoeira Paulista, localizado nas várzeas do Paraíba, região naturalmente sujeita a inundações, porém a presença dos reservatórios Paraibuna/Paraitinga e Jaguari, e a retificação do leito do rio entre Caçapava e Cachoeira Paulista, com aumento da declividade de 19 cm/km para 28 cm/km, atenuaram a ocorrência de inundações nos centros urbanos localizados nessa área. Outro exemplo são as cheias de Lorena e Guaratinguetá, que estão parcialmente controladas pela presença de barramentos localizados nos ribeirões Santa Lucrécia, Taboão e Motas.

Já no trecho baixo da bacia e nas sub-bacias dos afluentes Pomba e Muriaé, ocorrem enchentes de caráter regional; as principais cidades afetadas nesse processo são: Campos, Cardoso Moreira, Italva, Itaperuna, Natividade, Laje do Muriaé, Patrocínio do Muriaé, Miraí, Porciúncula, Tombos, Cataguases, Cardoso de Pádua e Carangola.

Podem-se citar ainda no trecho fluminense, no estirão do rio que se estende de Funil à barragem de Santa Cecília, as inundações nas áreas urbanas e industriais em municípios como Resende, Barra Mansa, Volta Redonda e Barra do Piraí. Tais cidades, principalmente as três primeiras, apresentam problemas com inundações de ruas importantes e bairros residenciais lindeiros à calha do rio.

As maiores cheias de caráter regional que ocorreram nos rios Pomba e Muriaé aconteceram nos anos de 1925, 1943, 1961, 1979, 1983, 1985, 1997, 2003, 2007, 2008, 2009 e 2012. Ressalta-se que eventos críticos nessas sub-bacias são comuns, sendo algumas cidades atingidas quase que anualmente por inundações em pontos isolados.

Cabe também destacar os eventos produzidos por despejos de grande quantidade de cargas poluidoras em cursos de água, tais como aqueles decorrentes de rompimento de barragens de rejeitos e vazamentos.

Agência Nacional de Águas - ANA
Setor Policial, área 5, Quadra 3, Blocos "B","L","M" e "T".
Brasília-DF CEP: 70610-200 PABX: (61) 2109-5400 / (61) 2109-5252